ESPECIAL Marcelo "Mekanos" Timóteo

Defensivos também são Heróis de dano

Muito se fala sobre formação de composição em Overwatch, meta game e viabilidade para o competitivo. Entretanto uma classe que é quase sempre ignorada na hora de formar times e estratégias são a dos personagens defensivos.

Assim como já dissemos que separação de classes não significa muita coisa em Overwatch, os Defensivos causam muita resistência na comunidade. Mas porque?

A classe possui 6 personagens bem peculiares, sendo que apenas o Junkrat se encontra no meta atualmente. Não será a primeira vez, e nem a última que você ouvirá que “Defensivo não serve pra ataque”. Vamos discutir esse tipo de viabilidade.

Defensivos são DPS

A classe defensiva em Overwatch é claramente a mais polêmica e que sempre aparece em discussões. São formadas por heróis com kits capazes de impedir avanços inimigos e que respondem com dano alto e sobrevivência aprimorada. Não é a toa que heróis defensivos sejam ideais para proteger um objetivo, sobretudo no round de defesa. Eles podem negar dano, conter avanços, matar facilmente heróis móveis e possuem muito dano por segundo (o DPS).

Então, quando se diz que estão faltando DPS no time, temos que nos ater ao fato de que a presença de um personagem defensivo possa suprir essa carência, contando que ele cumpra o papel de matar seus oponentes.

A grande questão controversa dessa classe é justamente a situacionalidade. Muitos personagens são claramente dependentes de situações ou composições específicas para funcionar plenamente. Já outros, são independentes até demais. Uma coisa é fato sobre a classe defensiva: ela dá muito dano.

Não é à toa que são os personagens mais odiados do jogo, pois podem facilmente eliminar um inimigo a um custo muito reduzido ou em troca de uma skillshot muito elevada. Widowmaker e Hanzo são letais com tiros na cabeça, Mei possui uma sobrevivência muito alta e dano elevado. Torbjörn é fatal a curta distância (ofertando mais dano por disparo que o Reaper, inclusive), Bastion pode ser um grande problema e Junkrat é motivo de reclamação a meses, por variados motivos.

Tem que saber jogar

Jogar bem com personagens defensivos também exige muita habilidade. São heróis melindrosos que podem virar um jogo ou se tornar um peso considerável para a equipe. Além disso a habilidade pessoal do jogador conta muito na eficiência. Já ouvimos muita reclamação quando um colega escolhe Hanzo e Widowmaker no ataque, mas é evidente o potencial de pickoff desses heróis quando quem os controla sabe o que está fazendo.

Vide, por exemplo, na Copa Mundial de Overwatch na Blizzcon, onde o jogador sul coreano Flow3r nos mostrou o que uma francesa precisa é capaz de fazer (no ataque e na defesa).

A situacionalidade do personagem também é regida pela composição que seu time forma. Usar um Bastion em uma equipe onde não há barreiras pode ser muito frustrante, assim como um Hanzo que não se posiciona bem afunda um teamplay. Quando se escolhe um personagem fora da curva para atacar em uma partida, é imprescindível que a equipe trabalhe para que esse pick funcione.

Afinal, Overwatch é um jogo de equipe, e de nada adianta escolher uma Widowmaker pelo pickoff, mesmo tendo mira de jogador profissional, se seu time não trabalha para abrir espaço para que você consiga abater os alvos.

Os 6 Odiados

No geral, todos os personagens defensivos possuem algum pedaço de ódio da comunidade, seja jogando contra ou no seu time. A grande parcela de culpa disso, é que os defensivos em sua maioria, counteram facilmente todos os heróis de suporte e ofensivos do jogo. Quem nunca foi congelado por uma Mei flanqueadeira enquanto curava de Mercy ou Ana que atire a primeira pedra.

Heróis defensivos também são mais difíceis de jogar que os seu contrapartes e isso causa um efeito ruim quando algum jogador do seu time escolhe uma opção defensiva, mas não consegue ser efetivo. O fato é que heróis defensivos exigem especialidade e horas de treino para serem úteis, e muitos poucos jogadores se dispõem a treinar.

Porém, quando se domina um personagem defensivo, muitas vezes o jogo fica muito complicado para a equipe rival. Mesmo tendo que ter ajuda da equipe para que a composição vingue, muitas vezes excelentes jogadores de defensivos conseguem cumprir seu papel apesar das intempéries.

Resultado de imagem para Widowmaker

Gamesense é fundamental

Concluindo nossa discussão, vimos que qualquer personagem funciona. Cabe ao jogador saber dominá-lo e à equipe dar o suporte necessário para que seu herói funcione. Converse com sua equipe e tente chegar a um acordo onde todos poderão se beneficiar de um pick incomum, se o jogador afirma que faz seu trabalho com excelência. Talvez mudar sua composição para favorecer um pick defensivo seja mais efetivo do que ficar lutando contra e apontando dedos.

Lembrem-se que Overwatch é um jogo de equipe, portanto, sejam uma equipe.

Alguém é profissional de Hanzo aí? Comente!

ESCUTE NOSSO PODCAST

Sobre o autor | Website

Jogador casual de forma séria, interessado em qualquer coisa que possa ser controlada numa TV. Habilidades questionáveis em jogos de tabuleiro e agraciado pela sorte em 50% dos casos. "As amarras da sua mente, são sua prisão"

Receba todas as noticias do mundo de Overwatch!

100% livre de spam.
  • Yann Cerri

    Queria ser profissional de Hanzo, mas falta muito. No máximo, faço umas jogadas de Junkrat e, às vezes, de Bastion.
    Ótimo texto!

  • Shadow Geisel

    Cara, eu discordo de muitos pontos argumentados no texto. Acho que você não pode pegar uma exceção, usando como exemplo um pro player, pra justificar seu ponto de vista. No caso desse vídeo da Widowmaker mesmo é possível perceber claramente que Flow3r só conseguiu causar o estrago que causou (além da sua perícia de mira incrível) porque o time adversário possuía uma D.va que simplesmente não fazia seu papel no time, que é o de contestar high ground. É claro que todos os personagens podem funcionar, mas é indiscutível que certos heróis representam um buraco na composição de time quando selecionados de forma aleatória (tipo, 99% das pessoas que jogam de Junkrat). Temos também que combinar que há muitos erros na classificação de heróis da Blizzard, e usar o termo DPS puramente pelo significado da sigla não significa muita coisa. Zarya com a arma no máximo é uma das personagens que mais causam dano no game. Isso quer dizer que ela é uma DPS? Claro que não. O mesmo vale pra Junkrat. Um personagem que só funciona em espaço fechado, e precisa lançar 4 tiros pra acerta 1 não se compara a um outro que acerta 3 baodyshots numa Pharah e a mata na hora, a qualquer distância no mapa. O próprio jogo define o que é um herói de ataque: um personagem versátil, que consegue eliminar o alvo com rapidez e escapar de situações de perigo. Bastion causa um dano absurdo, mas basta um Helix e alguns tiros de Soldier pra ele se desmanchar feito um boneco de palha. Não tem boa mobilidade, sua cura é lenta e depende excessivamente de barreiras pra não ser morto. Enfim.

    • Mas foi exatamente isso que disse no texto. Que heróis defensivos possuem muito dano, mas muitas vezes são situacionais. Depende de muitos fatores para fazer a diferença jogando de defensivo ou não.
      O caso do Flow3r só nos mostra como ele é profissional, afinal, ele aproveitou a fraqueza do time adversário e explorou isso, além disso em algumas situações ele claramente usou a Widowmaker como “bait” pra distrair o time inimigo e facilitar as coisas para seus aliados.

  • Joserlei Otone

    Ótimo texto, Mekanos, parabéns!
    Vai ajudar a esclarecer que realmente significa “DPS” para a comunidade nacional no overwatch e facilitar a discussão e estruturação das composições com esse conhecimento.