COMPETITIVO E-SPORTS OVERWATCH LEAGUE Marcelo "Mekanos" Timóteo

O fim do Dive e o mau costume da Comunidade

Com a chegada de Brigitte no cenário profissional da Overwatch League no começo dessa temporada, já vimos alterações muito importantes. Entretando, apesar de parecer a grande responsável pela mudança do meta, a engenheira sueca não é exatamente a protagonista dessa mudança. O nerf que Tracer sofreu na Bomba Eletromagnética teve um peso muito mais significativo nesse cenário.

Bree-gui-tah

Brigitte já começou causando danos às estruturas do jogo desde seu lançamento. A possibilidade de unir a sustentabilidade de um suporte com a força de um tanque criou um personagem que não tem medo de flanqueadores. Fugir de uma boa luta contra os tradicionais algozes dos suportes não é bem o estilo de Brigitte.

Era questão de tempo para perceber que o Dive logo perderia a força, tanto pelas habilidades da nova suporte, quanto por novas composições favoráveis que iriam surgir. Mesmo nerfada recentemente, Brigitte cumpre bem o que promete e faz com que o time adversário pense bem em bolar contra-estratégias eficientes.

Apesar desse poder todo de mudança, Brigitte teve uma participação muito tímida na Overwatch League, mesmo todos os times estando preparados para sua presença. Ela apareceu apenas em poucos jogos e as partidas estão se desenrolando lentamente, similar à áurea época do meta Triple Tank. O gameplay de Brigitte também possibilitou a volta de heróis pouco móveis que estavam bem sumidos devido ao Dive, como Zarya e Reinhardt. Zarya se beneficia extremamente bem do estilo corpo a corpo de Reinhardt e Brigitte e os mesmos, ganham proteção da atleta russa.

A escudeira também possibilitou uma composição antes impensável no cenário profissional: o triple support. Apesar de ser uma curandeira excepcional, Brigitte é considerada off-healer, ou seja, ela apena complementa a cura do suporte principal. Mercy e Zenyatta ainda reinam como curandeiros e a menos que um nerf significativo aconteça com esses dois, não vai mudar muito o cenário.

Tracer

Independentemente da presença de Brigitte ou não, Tracer é a maior, senão talvez a única, responsável pela morte do Dive. A redução no poder da Bomba de sua suprema tornou a inglesa muito mais ineficaz contra tanques e ela perdeu parte do propósito que tinha na liga profissional.

Como todos sabem, Tracer era importantíssima para anular o Winston e Orisa nas composições antigas, e de quebra, levar algum outro herói junto. Perder 100 de dano por ataque de bomba deixou Tracer extremamente ineficaz nesse trabalho, considerando a quantidade de cura existente com 3 curandeiros. Claro, se houver uma Brigitte no time inimigo, o trabalho da Tracer fica ainda mais difícil, devido à extrema vulnerabilidade que ela possui ao ser atordoada.

Fazendo as contas, antes Tracer praticamente zerava a vida de todos os tanques do jogo, sobretudo os do meta. Agora, tirando apenas 300 de vida, muitos tanques acabam sobrando com 200 de hp, o que permite cura hábil.

Hanzo

Quem diria. Hanzo se tornou o DPS com maior potencial nesse meta atual, até mesmo contra barreiras. Seu rework recente permitiu uma mobilidade muito elevada e picos de dano contínuo extremamente importantes para abaixar barreiras e barras de vida. Além disso, Hanzo não precisa se colocar no meio da equipe inimiga para ser efetivo e possui uma suprema muito poderosa, principalmente combada com a da Zarya.

O Shimada mais velho tem conseguido suprir o dano que Tracer promovia e de uma situação mais segura que sua companheira.

Winston, I Have a Problem

O tanque que é a cara do Dive, perdeu espaço. Não só pela presença de Brigitte em si, que concede armadura. A presença de tanques robustos com maior DPS fazem com que Winston seja deixado de lado por motivos óbvios. O dano que o cientista fornece não é alto o suficiente para fazer frente a tanques tão fortes. Além disso, Reinhardt e Brigitte ignoram barreiras em seus ataques primários, tornando o escudo do macaco praticamente inútil. A armadura que muitos tanques tem, além da que Brigitte fornece, mitiga mais ainda o dano de Winston.

A mobilidade alta acaba afinal, não compensando mais.

O Dive nos deixou mau acostumados

Não precisa de muito esforço. Basta entrar em qualquer fórum ou grupo de discussão para atestar que há muita reclamação sobre Brigitte.

A grande questão é que querendo ou não, Brigitte mudou o meta definitivamente e a comunidade ainda não se adaptou muito bem a isso. Estamos jogando Dive a aproximadamente 6 temporadas e muitos jogadores novos jamais conheceram outro estilo de jogo que não fosse esse. Há inúmeros motivos para que haja rejeição com Brigitte, vamos tentar elucidar isso abaixo.

O meta mudou, mas os jogadores não estão sabendo ter flexibilidade para se adaptar. Por exemplo, foi notícia a questão do One Trick, onde uma pessoa joga apenas de determinado herói. Isso é um problema grave, visto que muitas vezes, esse jogador era especialista com algum personagem off meta. Entretanto, agora estamos vendo o problema do one tricking em personagens de meta (que não estão no meta mais)

Genji, por exemplo, sempre foi um personagem muito forte. Sempre teve espaço em todos os metas. Entretanto, apesar de ainda ser possível jogar bem com o boneco, sua efetividade claramente caiu. Jogadores que só jogam de Genji estão passando um aperto considerável para se adaptar, até porque, há counters suficientes para serem anulados a todo momento. E é aí que começa a reclamação, de que o jogo não está mais divertido.

Estávamos tão acostumados a jogar Dive o tempo todo, que quando o meta mudou, ficamos sem saber o que fazer. Por isso que manter um único meta por tempo indefinido é ruim para o jogo. E é por isso que o one tricking é ruim, independente de ser personagem do meta ou não.

Overwatch é um jogo de adaptação

Jogadores veteranos sabem bem. O jogo muda o tempo todo. Aquele personagem que está bom agora, pode não estar mais no futuro. Se você é novato, adaptação é fundamental para que Overwatch continue evoluindo. Heróis novos não estão destruindo o jogo, há problemas maiores aí. Não é bom ficar preso por 3000 mil horas a um único personagem, afinal tudo pode mudar.

Use essa mudança de meta como exemplo, e mude o jogo você também!

Está aproveitando ou odiando esse meta novo? Comente.

Sobre o autor | Website

Jogador casual de forma séria, interessado em qualquer coisa que possa ser controlada numa TV. Habilidades questionáveis em jogos de tabuleiro e agraciado pela sorte em 50% dos casos. "As amarras da sua mente, são sua prisão"

Receba todas as noticias do mundo de Overwatch!

100% livre de spam.